#Chapada: Servidora da prefeitura de Mucugê trabalha com tornozeleira eletrônica após ser presa por atos golpistas em Brasília

 

 

 

 


Uma servidora do município de Mucugê, na Chapada Diamantina, tem ido trabalhar de tornozeleira eletrônica por ter participado dos atos golpistas do dia 8 de janeiro no Distrito Federal. Texto publicado em sites da região aponta que a mulher foi presa e liberada, mas mesmo detida, ela continuou contratada pela prefeitura administrada pela prefeita Ana Medrado (UB). A gestora foi uma das apoiadoras de Bolsonaro na região chapadeira.

A servidora atua como técnica de enfermagem e ficou presa até o dia 28 de fevereiro, conforme as informações. Essa notícia correu como rastro de pólvora e a oposição em Mucugê tratou de tripudiar em cima da situação. A mulher foi identificada e passa por constrangimentos de forma constante. Ela exerce a função de auxiliar em um posto de saúde do município chapadeiro.

Ainda segundo os dados, a servidora ‘exibe com honra’ a tornozeleira, utilizada como condição para ficar solta e convivendo em sociedade. Moradores dizem que a mulher até debocha da situação. Há ainda relatos de queixas sobre a situação na Secretaria de Saúde e na prefeitura, mas ninguém falou nada sobre o caso. “A população tem classificado a atitude como vergonhosa”, aponta texto publicado por site da região.
Fonte: Jornal da Chapada

Nenhum comentário:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site (portalinubia.com)

MAIS LIDAS DA SEMANA