#Chapada: Conheça a História do Povoado de Morro do Fogo

 

 

 


Morro do Fogo foi o lugar onde tudo começou para a região do Vale do Paramirim. A partir desse local sugiram Água Quente (hoje Érico Cardoso) e Arraial dos Ribeiros (hoje Paramirim), Localizado na Chapada Diamantina. O nome do povoado faz referência ao fogo aceso pelos mineradores, para servir de sinalização. Outra hipótese é a de que em certos lugares dava-se para avistar um brilho (parecendo ao do fogo), cometa-se também sobre um tipo de mineral que ao ser tocado pelos raios solares brilhava feito fogo, e daí o nome.A Capela de N. senhora do Carmo, exemplar de destaque no povoado, é um edifício do final do século XIX, muito simples, voltado para o vale. O edifício encontra-se implantado num terreno aplainado, próximo ao cume do Morro do Fogo, a alguns metros do conjunto de pequenas casas térreas, de porta e janelas, que descem a ladeira do pequeno povoado (IPAC).
Fonte: Ipac-BA.

Histórico do município: No início do século XVIII, teve início a colonização do território de Água Quente, com a procura de ouro por portugueses e brasileiros no Morro do Fogo, no Vale do Paramirim, onde se fixaram formando o ‘Arraial do Morro do Fogo’.
Em 1843 foi criada a Freguesia de Nossa Senhora do Carmo do Morro do Fogo, que em 1875 foi transferida para o Arraial de Água Quente, elevada à vila em 1878. O município foi criado com território desmembrado do de Paramirim.
A cidade formou-se em terra de propriedade do então ″coronel″ Liberato José da Silva, e seu progresso durou poucos anos, sendo transferida a sede da Freguesia do Morro do Fogo, em 1875, por Resolução Provincial.
Já em 1898, o capitão Antônio José Cardoso, abastado comerciante em Água Quente, foi nomeado o primeiro intendente de Paramirim. Após sua morte, em 1902, Água Quente perdeu para Arraial do Ribeiro o seu progresso administrativo, e mais tarde, em 1911, dois anos após a emancipação de Paramirim , veio a ser palco de dolorosos acontecimentos políticos.
Apesar da emancipação ter vindo em 1962, Água Quente conta um século e meio de história, nascida da febre do ouro, quiçá ainda sepultado pelo tempo no Morro do Fogo.

Festejos 

O Morro do Fogo, hoje, é mais conhecido pelos festejos em louvor a Nossa Senhora do Carmo, na data de 16 de julho. A cada ano o número de romeiros e visitantes vem aumentando muito, pelas as apresentações de danças da terra e músicas, e realização de batizados, casamentos e missas .Outro foco também para turistas e visitantes da região é O Rio do Morro que corre entre os quintais das residências, encontra-se ali mesmo sua linda e encantadora cachoeira. Uma das atrações fica por conta da Gruta do Pereira um buraco na serra, aberto por Manoel Pereira (português) em busca dos filões de ouro. Outra o Poço do Major além da linda queda D'Água que forma o cenário desse pacato povoado.
O que também chama boa atenção, no povoado encontra-se a Capela, nela existem as imagens de Nossa Senhora do Carmo, Nossa Senhora do Rosário, São Miguel e São Gonzalo. O único vigário foi o Padre Sebastião Dias Laranjeira, que conduziu a paróquia por 13 anos, muito querido pelo povo da região. 
E assim Morro do Fogo ficou conhecido como um dos melhores pontos turísticos da região, tendo as melhores festas, e melhores cortejos aos Santos.
Fonte: IBGE

Nenhum comentário:

AVISO: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do PORTAL INÚBIA.

MAIS LIDAS DA SEMANA