Justiça nega pedido de prisão de padre que fugiu após atropelar suspeito de furtar igreja em SP

 

 

 


A Justiça de São Paulo negou o pedido da polícia para prender o padre Gustavo Trindade dos Santos, que atropelou um homem suspeito de furtar a igreja na cidade de Santa Cruz do Rio Pardo, no interior de São Paulo. As informações são da Record TV. 

O juiz entendeu que, apesar de a atitude ser grave, o religioso não oferece riscos e os advogados colaboram com as investigações. Com isso, o padre Gustavo não teve o pedido de prisão decretado pela Justiça.
O suspeito, que está internado em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em estado grave, furtou três moletons e uma camisa. O veículo está registrado em nome da paróquia. O padre foi afastado das atividades da paróquia.

O atropelamento, flagrado por uma câmera de monitoramento, ocorreu na noite do domingo (08), após o homem furtar pela segunda vez a igreja. O religioso jogou o carro contra o suspeito de furto praticado na casa paroquial.
A Polícia Militar confirmou em boletim de ocorrência que o padre dirigia o carro no momento do atropelamento. Um vídeo publicado na internet mostra imagens de um veículo branco em perseguição a um homem de jaqueta azul na calçada da avenida Tiradentes.
Minutos depois, o motorista arremessa o veículo contra o suspeito, dá ré e deixa o local. O homem teve ferimentos graves e permanece na UTI da Santa Casa. Ele foi preso em flagrante por furto qualificado. Segundo informações, já seria conhecido da polícia por ter praticado "outros tipos de furto na cidade".

Nenhum comentário:

AVISO: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do PORTAL INÚBIA.

MAIS LIDAS DA SEMANA