#Bahia: Onça pintada é encontrada morta na BA-156 em Brotas de Macaúbas

 

 

 


Um morador da comunidade de Amansador, conhecido como Nalvo, registou um animal que está ameaçado de extinção, morto às margens da na BA-156, próximo à Brotas de Macaúbas. A onça pintada foi vítima de atropelamento a cerca de 7 quilômetros da cidade. Ele relatou que ficou impressionado com o tamanho e a beleza do animal e lamentou a morte da onça. "É um animal raro de se ver por aqui, e apesar das pessoas terem medo, a onça é muito bonita. Nunca havia visto uma tão grande de tão de perto, mesmo que morta", contou Nalvo.

Para o Engenheiro Agrônomo Wanderley Rosa Mato, o animal encontrado já morto a margem da Rodovia BA-156, nas proximidades de Brotas de Macaúbas, é uma Onça-pintada também conhecida por pintada, onça-verdadeira, jaguar, ou simplesmente onça. É um mamífero da ordem carnívora, da família dos felídeos, da subfamília pantherinea, gênero Panthera e da espécie Panthera onça. 
Apesar de estar totalmente inserido no bioma caatinga, no município de Brotas de Macaúbas e região sempre a tradição oral deu conta da existência de onças, as quais, principalmente nos meses agosto a dezembro, no ápice da seca, costuma atacar as criações de pequeno porte como ovelhas e cabras e também de bovinos, também são comuns os relatos de caçadores e seus cachorros de casa, perseguindo e matando estes animais, pois tal feito, confere ao caçador a fama de coragem e habilidade no uso de suas armas. Ao que se tem notícias a maior onça pintada que foi vista no município foi nos anos 70, quando no povoado de Santana, a 4 km da sede, um caçador matou uma grande onça pintada, a qual ficou na comunidade exposta como troféu e atraiu para o lugar um grande número de curiosos que queriam ver a “bixona”.    

Ela é considerada como sendo o maior felino e também maior carnívoro da América do Sul, podendo medir até 1,90 m de comprimento e 80 cm de altura, pesar até 135 kg, apresentam o corpo coberto por pelos na cor amarelo-dourado com manchas pretas na cabeça, no pescoço e nas patas. Nas costas, flancos e ombros apresentam-se em forma de roseta com pontos dentro, corpo robusto e uma grande força muscular, podendo ser encontrada em todos os biomas brasileiros, desde a Amazônia até a caatinga, e, apresentam hábito solitário, com machos e fêmeas encontrando-se apenas durante a época reprodutiva e, apresentam hábito crepuscular-noturno.

Alimentam se de animais como catetos, veados e tatus, podendo atacar, em períodos de escassez, animais domésticos inclusive bovinos e caprinos.

Atualmente o avanço do desmatamento para fim da expansão da agricultura vem alterando o habitat desses animais os tornando, cada vez mais, vulneráveis principalmente como alvo da caça, para algumas pessoas que, mesmo se considerando evoluídas, sentem prazer em atirar para matar, o que contribuído, de forma impactante, para a redução da sua população e, as coloca na classificação, na lista construída pela União Internacional Para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN), como animal quase ameaçada de extinção.
//Brotas News




Nenhum comentário:

AVISO: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do PORTAL INÚBIA.

MAIS LIDAS DA SEMANA