PMs são denunciados por sequestrar mulher e cobrar resgate de R$100 mil, em Seabra

 


O Ministério Público estadual, por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco), em atuação conjunta com a 2ª Promotoria de Justiça de Seabra, denunciou os policiais militares Luis Rafael Silva de Souza, Deivison Santana Silva, Robson Cardoso Silva e Juracy Barroso de Jesus, juntamente com Juliana dos Santos Percontini pelo crime de sequestro de Marilene Barbosa Costa, com o fim de obterem para si vantagem econômica, como condição do resgate. Dos policiais, três são lotados em Seabra, com exceção de Luis Rafael, lotado em Salvador. A denúncia, apresentada na terça-feira, dia 25, foi recebida pela Justiça que já deferiu  nessa quarta-feira, dia 26,  o pedido de compartilhamento integral das informações e elementos probatórios contidos no inquérito policial com a Corregedoria da Polícia Militar e da Secretaria de Segurança Pública da Bahia para utilização em eventuais procedimentos administrativos disciplinares, bem como o compartilhamento e autorização de uso integral das informações e elementos probatórios em eventuais medidas judicias a serem adotadas no Juízo Cível ou Fazendário pelo Ministério Público para defesa do patrimônio público e da moralidade administrativa. Os quatro policiais já se encontram presos preventivamente, a pedido do MP, e Juliana sob medida cautelar diversa de prisão.

Segundo o Gaeco, o crime teria sido cometido pelos denunciados na madrugada do dia 22 de agosto de 2021, por volta das 3h, no Povoado da Lajinha, zona rural, Seabra. A vítima estava em sua casa com seu marido, quando Luis Rafael,  Deivison, Robson e, Juracy, encapuzados e armados, invadiram a casa e, ameaçando  a vítima com uma faca, exigiram o pagamento da quantia de R$ 100 mil. A denúncia narra que, quando ela disse ter apenas R$ 45 mil reais em sua conta bancária, foi arrastada pelos denunciados e colocada no banco traseiro de um carro. A vítima foi conduzida a uma localidade erma, na rua Vitorino Borges, onde o carro foi usado como cativeiro. O local fica ao lado da casa do denunciado Juracy, e serviu como ponto de apoio para eles durante o crime. No local, sob ameaças, transferiu dinheiro da sua conta para a da denunciada Juliana Percontini. Os denunciados ainda teriam entrado em contato com o marido da vítima na tentativa de obter mais dinheiro, o que não conseguiram. A vítima foi liberada às 11h nas margens da rodovia federal BR-242.
Fonte: MP-BA

Nenhum comentário:

AVISO: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do PORTAL INÚBIA.

MAIS LIDAS DA SEMANA