Seabra/BA: Médicos do Hospital Regional da Chapada denunciam atrasos de pagamentos de salários.

 

Médicos do Hospital Regional da Chapada, situado na cidade de Seabra, na Chapada Diamantina, denunciaram ao Chapada News que estão sem receber pagamentos de salários referentes aos meses de setembro e outubro de 2021. Alertam que novembro já está finalizando e até o momento não há definição de quando haverá pagamento.

“Precisamos de maior visibilidade para nossa causa. Trabalhamos em uma área comercial cuja paralisação seria catastrófica para a região”, desabafa um médico ao Chapada News.

Há 1 ano atrás, em 2020, o Hospital passou pela mesma situação de atrasos de pagamentos, gerando protestos por parte de colaboradores. Na época, a unidade era administrada pela Organização Social de Saúde APMI, que teve o contrato cancelado pelo governo do estado. Foi então que a Fundação da Associação Bahiana de Medicina (Fabamed) assumiu a nova administração, em dezembro de 2020.

Desde que a Fabamed assumiu a administração do HRCD não havia ocorrido nenhum atraso de pagamento, porém, agora já são dois meses seguidos, setembro e outubro, em atraso. A Fabamed alega que depende de repasse da Secretaria Estadual de Saúde da Bahia (Sesab) pra então pagar aos colaboradores e fornecedores e esse repasse não está acontecendo desde setembro.
Os médicos estão indignados e desabafam que praticamente estão tendo que pagar para trabalhar, com gasolina, impostos de notas fiscais não pagas, entre outros gastos que precisam assumir para poder saírem de casa e ir cumprir sua missão laboral.

“Estamos trabalhando, tendo custos e não [estamos] recebendo. Isso beira ao absurdo, se já não o é. Nós temos famílias, pessoas que dependem da gente, compromissos feitos que infelizmente não estão sendo cumpridos. Levando não só a uma sensação de desânimo e tristeza, mas também de descrédito moral pelos nossos credores. Nossa moral e honra vão abaixo quando não conseguimos arcar com nossos compromissos, sejam eles sociais, morais ou financeiros”, desabafa um outro médico ao Chapada News

Outro ponto relevante informado pelos médicos, seria de que a Fabamed está administrando o Hospital sem contrato, pois havia assumido a gestão através de contrato de emergência, que já expirou. Eles declaram ainda que a Sesab já sabia que isso ocorreria e não se preocupou nem em renovar o contrato ou abrir licitação para um contrato definitivo.

”Está se desenhando uma cena muito semelhante ao final do ano passado, com a saída da APMI. Todos já sabemos o que se deu nesta ocasião. O risco de calote existe e vem ganhando forma. Além de um impasse financeiro, existe um impasse administrativo, muito simples pra eles usarem como desculpa, tendo em vista as várias promessas feitas previamente a todos os funcionários do hospital, não só médicos, e que não foram cumpridas”, desabafa um médico

Os profissionais ainda sinalizam que há profissionais excelentes no Hospital Regional da Chapada. Ressaltam que muitas vidas foram salvas na pandemia da Covid-19. E mesmo com as dificuldades e falta de pagamento nenhum médico deixou a população desassistida.
Ainda questionam qual seria a verdadeira intenção do estado em véspera de inauguração de uma maternidade no município de Seabra se não conseguem se quer pagar os médicos do Hospital Regional. “Que lógica é essa? Quer abrir novos estabelecimentos de saúde dando calote nos médicos?”, desabafa um outro médico.

Mês de setembro de 2020 não foi pago

Ao Chapada News, os médicos relataram que com a troca de administradores em 2020, além das perdas trabalhista que os trabalhadores com contrato baseado na Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) tiveram, eles, os médicos ficaram com o pagamento do mês de setembro daquele ano sem receber, até hoje. “O pagamento de setembro de 2020 caiu em esquecimento pela Sesab”, reclama um dos médicos


Os médicos alegam ainda, que em diversas reuniões com a Sesab, em 2020, houve o compromisso verbal da mesma em fazer o pagamento de setembro de 2020, relato esse registrado em ata junto ao Ministério Público de Seabra, na presença, na época, do Promotor de Justiça Gustavo Pereira Silva. Entretanto até a presente data, novembro de 2021, tal pagamento ainda não foi feito.

A redação entrou em contato com a SESAB e FABAMED, mas até o fechamento da matéria não obteve resposta.

Nenhum comentário:

AVISO: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do PORTAL INÚBIA.

MAIS LIDAS DA SEMANA