Tempestade de poeira deixa quatro mortos no interior de São Paulo

 

 

 


Quatro pessoas morreram no interior de São Paulo durante a tempestade de poeira que atingiu várias cidades na sexta-feira (1º). Um grupo que apagava um incêndio foi surpreendido pelo vento forte, que espalhou as chamas.
Só depois que a tempestade de poeira passou é que os estragos foram aparecendo. Em uma fazenda em Santo Antônio do Aracanguá, no interior de São Paulo, as marcas do fogo estão por toda parte. Ainda não se sabe o tamanho exato da área queimada. Segundo os bombeiros, o fogo atingiu pastagens, canaviais e áreas de preservação.

Antes da grande nuvem vermelha de poeira chegar, mais de dez pessoas trabalhavam no local para combater um incêndio que já estava quase controlado. Mas o vendaval acabou espalhando o fogo rapidamente e três pessoas morreram.

O agricultor Genival Miguel de Mello, de 63 anos, não conseguiu escapar do fogo. Ele estava em um trator ajudando a apagar as chamas. Gilson Marques de Souza, de 55 anos, e Valdeilson da Conceição Santos, de 32, eram brigadistas de uma usina e ajudavam a controlar o incêndio com um caminhão pipa. Eles também não conseguiram se abrigar a tempo.

Outras quatro pessoas ficaram feridas. Genival Francisco Moreira, diretor de obras da Prefeitura de Santo Antônio do Aracanguá, lembra que foi tudo muito rápido:

"A hora que nós olhamos para trás, para o lado do rio, vinha vindo aquele temporal, aquela fumaça. Não dava para ver nada. Perde o rumo, né? Perde o rumo, perde o sentido no meio da fumaça e da poeira".

Cerca de 80 animais morreram no incêndio e muitos ficaram feridos com queimaduras. Para tentar fugir do fogo, muitos correram para perto de um rio que passa na propriedade. Um deles continua no local. Ele ficou preso no barro e está com o corpo quase todo coberto pela lama.

"A principal orientação é ao ver uma nuvem de poeira como essa se aproximando, nesse momento já procurar um local seguro e jamais se abrigar na frente do foco de incêndio, na direção que o vento está vindo", explica o tenente Dailton Vieira de Oliveira, do Corpo de Bombeiros de Araçatuba.
Em Araçatuba, o dia foi de limpeza. A cidade foi uma das mais afetadas pela tempestade de poeira. Muitas árvores caíram e uma delas atingiu um motociclista que cruzava uma das principais avenidas da cidade. Ele foi socorrido e está internado em estado grave.

Em Tupã, os ventos chegaram a 80 quilômetros por hora. O muro de uma obra caiu sobre um dos trabalhadores. Fábio Alex Marques Castro, de 42 anos, foi socorrido, mas não resistiu.
Do G1/JN

Nenhum comentário:

AVISO: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do PORTAL INÚBIA.

MAIS LIDAS DA SEMANA