Revolta e comoção marcam velório de jovem Sashira Camilly, vítima de terrível feminicídio em Vitória da Conquista

 

 

 






Mais um violento crime de feminicídio foi cometido nesta quinta-feira (16), em Vitória da conquista. Segundo informações de polícia, o feminicídio foi cometido por três homens contra a jovem estudante que não teve chances de se defender. Sashira Camilly era estudante de engenharia civil na FAINOR, fato teve repercussão nacional e chocou o país pelos meios cruéis aplicados.
Em decorrência disso, a despedida da jovem, que teve sua vida ceifada de forma precoce, foi realizada sob forte comoção e tristeza. O corpo que foi velado na Loja Maçônica Cavalheiros do Oriente, Avenida Joaquim Hortélio, bairro Recreio, deve ser sepultado ainda na manhã desta sexta-feira (17), às 10h no Cemitério Parque da Cidade.

O crime de feminicídio contra Sashira Camilly, jovem de 19 anos, foi detalhado pela delegada Gabriella di Garrido e o delegado Marcus Vinicius. De acordo com informações das autoridades policiais, um dos autores do crime é ex-namorado da vítima, com quem havia se relacionado há dois anos. Eles também informaram que o acusado havia agredido a vítima quando os dois ainda se relacionavam e havia em desfavor dele uma medida cautelar em proteção a Sashira. Após o período da medida, ele voltou a se reaproximar, já com o intuito de atentar contra a ex-namorada. Sashira Camilly foi levada para a Lagoa das Flores, zona rural de Vitória da Conquista, onde foi esfaqueada, estrangulada e morta. Ela havia sido dopada pelo ex-namorado com o medicamento Rivotril dissolvido em um refrigerante.
A jovem era estudante de engenharia civil da FAINOR (Faculdade Independente do Nordeste), instituição de ensino superior privado, e as informações que circulam nas redes sociais dão conta de que os acusados pelo crime eram colegas de faculdade de Sashira. A delegada diz que morte de Sashira Camilly foi premeditada há dois anos. De acordo com a titular da DEAM, delegada Gabriela Garrido, o ex-namorado de Camilly havia premeditado o crime há dois anos. “Pelo que parece o ex-namorado de Camilly já havia acalentando essa ideia há dois anos”, disse. “Há dois anos atrás, quando ela tinha 17 anos, houve um registro pela família dela, onde ele a agrediu fisicamente. Como ela tinha essa idade, era adolescente, o boletim foi registrado no Núcleo da Criança e do Adolescente. Então, existe esse procedimento, ela chegou a ter medida protetiva em desfavor dele”, explicou.

Nenhum comentário:

AVISO: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do PORTAL INÚBIA.

MAIS LIDAS DA SEMANA