menu

cido

cido

SUPER CESTA 30/05/2020

sexta-feira, 4 de setembro de 2020

Ituaçu/BA: Pela primeira vez na história, romaria da Gruta da Mangabeira não aconteceu este ano

Fonte: DS / Foto: Reprodução

Tombada desde 1962 pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, a Gruta da Mangabeira ou religiosamente conhecida como “Gruta do Sagrado Coração de Jesus” é um enorme conjunto de galerias de alturas variáveis, repletas de estalactites e estalagmites de diversas formas. Situada no município e Ituaçu-BA, portal sul da Chapada Diamantina. 
A Gruta  possui aproximadamente 3,5 km de extensão e de sua grande galeria central partem inúmeras grutas subsidiárias, algumas com penetração impossível dado o emaranhado de estalactites formadas pela dissolução constante de carbonato de cálcio do terreno e pelas águas da chuva que se infiltram no seu interior.

A Gruta da Mangabeira é uma das mais visitadas do Brasil e alguns dos turistas vão lá pelas sensacionais formações, mas o grosso dos visitantes são romeiros de todo o país que querem pedir graças e pagar promessas. A história conta que, uma vez, um cavaleiro montado caiu num grande buraco no teto da caverna. Vendo que a morte o esperava, o cavaleiro gritou: “Sagrado Coração de Jesus, valei-me”. Salvou-se milagrosamente. Todo dia 3 de setembro é realizada a missa de celebração do Louvour ao Coração de Jesus, após novenário e leilão beneficente. Este ano, em época de pandemia, somente a missa será realizada com pessoas do município de Ituaçu.

Na entrada da gruta, encontra-se um santuário que é motivo de grande e permanente afluência de romeiros, pertencente à Diocese de Livramento de Nossa Senhora, onde são realizados batizados e casamentos até hoje. A gruta é visitada não apenas por fiéis que incrementam o turismo religioso na cidade, mas também por curiosos que buscam conhecer as 70 formações naturais que se assemelham a objetos, figuras sacras, animais e até passagens bíblicas. Algumas são realmente parecidas, outras ficam mais a cargo da imaginação, rs. Essas formações rochosas foram causadas principalmente por gotas de água que, ao longo de centenas de anos, moldaram diversas rochas nos formatos mais diversos.

Como é a travessia da Gruta da Mangabeira
Quem deseja conhecer a maravilha que é essa gruta, a cidade mantém um serviço de guias disponível para a visitação do local, todos os dias. No vilarejo, a poucos metros da entrada da gruta, há uma central onde você pode contratar um guia e fazer o passeio completo na gruta. É obrigatório fazer a travessia com algum guia, visto que apenas os primeiros 800 metros possuem iluminação artificial que ajudam na contemplação do lugar.

Após isso, todo o percurso é feito num completo breu, com algumas passagens íngremes, sendo muito difícil descobrir os caminhos que conduzem ao final da gruta. Para que você não se perca, é necessário levar velas ou lanternas que ajudem na iluminação do caminho e, claro, fazer a travessia com alguém que já tenha experiência no local. Os guias também ajudam na iluminação e são todos conhecedores da história, pacientes e experientes.

Apesar de algumas passagens terem um certo grau de dificuldade, a caminhada interna é leve, porém é preciso levar em consideração que a entrada e a saída da gruta se dão através de duas grandes escadarias, com mais de cem degraus. A saída da gruta é o ponto alto da travessia, quando após o mais completo escuro, se vê novamente o clarão do dia. Emocionante demais!

Aviso: Por ser uma gruta grande, no meio dela o ar é mais rarefeito, caso você tenha problema em ficar em lugares fechados e com pouco oxigênio, o melhor é não fazer a travessia. Mas calma, tem oxigênio suficiente para todos respirarem, só não é tão abundante como em lugares abertos.

A Gruta da Mangabeira é um encanto da natureza, um lugar simplesmente fantástico, com uma energia única. Toda a travessia é muito emocionante. A formação rochosa de estalactites e estalagmites de milhares de anos ornam naturalmente a gruta e dão à mesma um ar naturalmente gótico, sendo considerada uma das mais belas grutas da América Latina. Experiência bem incomum e interessante.

O que precisa melhorar é a infraestrutura e pavimentação da estrada após a saída da gruta, visto que nem todos os ônibus de excursão conseguem chegar devido a poeira e o barro, complicando um pouco o retorno dos turistas que atravessam a gruta. Não há sanitário público disponível e há apenas um suporte precário de dois bares. Mas nada que tire o encanto, a empolgação e a felicidade de quem fez o percurso acompanhados por guia local que, com muito conhecimento, tranquilidade, paciência e gentileza, nos conduz por todo o trajeto. É uma grande felicidade chegar até o final!
Fonte: Capital da Chapada

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do PORTAL INÚBIA.

MAIS LIDAS DA SEMANA

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE