menu

LAMMAI

ótica nossa visão 08/02/2020

SUPER CESTA 30/11/2019

cmp

cmp

cido

cido

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2020

Novos policiais lotados na Delegacia de Seabra recebem capacitação sobre técnicas de identificação veicular


Foto: Divulgação/PRF

Dando continuidade ao processo de estágio supervisionado dos novos agentes federais, a Polícia Rodoviária Federal realizou entre os dias 04 e 06 de fevereiro ambientação sobre técnicas de identificação veicular, com o objetivo de incrementar ações de enfrentamento às fraudes veiculares.

O evento promovido pela PRF BA foi realizado por policiais rodoviários federais que compõe o Grupo de Enfrentamento às Fraudes Veiculares (GEFRAV) e contou com a participação dos PRFs Dadalt e Heber, os quais buscaram aprimorar o nivelamento técnico e prático de 16 novos policiais lotados na Delegacia de Seabra. Um grupo de policiais militares foi convidado e também participou das aulas.
As instruções teóricas ocorreram no auditório das instalações da Delegacia PRF de Seabra, localizada no Km 383 da BR 242, na Região da Chapada Diamantina. Já as atividades práticas aconteceram no pátio da Delegacia de Polícia Civil de Seabra, como também durante comando de fiscalização ao longo do trecho sob circunscrição da Sexta Delegacia.
Durante as oficinas foram promovidas instruções sobre os diferentes elementos de identificação dos veículos, possíveis modos de adulteração e análise documental. Na oportunidade, os participantes puderam confrontar na prática os conhecimentos adquiridos, com ações monitoradas e análise dos elementos de identificação veicular.
Além do compartilhamento de informações, pretende-se formar multiplicadores de conhecimentos no combate às fraudes veiculares. Em 2019, a PRF na Bahia recuperou quase 500 veículos furtados, roubados ou adulterados. Conforme levantamento realizado até 06/02, em 2020 já foram recuperados 39 veículos.
Como funciona o crime das fraudes veiculares
O crime de fraudes veiculares resulta em múltiplas vítimas e está dividido em três fases distintas: o roubo, a adulteração e a revenda.
Na primeira fase temos claramente identificada a primeira vítima, que é a pessoa que teve seu veículo furtado ou roubado e, neste último caso, frequentemente com o uso de violência por parte dos criminosos.
Na segunda fase, a adulteração, os criminosos trocam a identificação do veículo e seus documentos para que pareça ser um veículo regular, também conhecida como clonagem. Neste momento o veículo recebe placas de outro veículo idêntico e o proprietário desse veículo, que se encontra em situação regular, torna-se a segunda vítima dos criminosos pois passa, muitas vezes, a receber multas de trânsito por infrações relacionadas ao veículo clonado.
A terceira e última fase é a revenda, alimentada pelo comércio ilegal desses veículos clonados, muitas vezes negociados em sites na internet por valores inferiores ao preço real do veículo. Nesta terceira fase do crime temos a terceira vítima em potencial, o comprador que, inadvertidamente, passa a ter a posse do veículo clonado.
Orientação e dicas da PRF na compra de veículo usado
Atenção redobrada deve ter também o cidadão ao realizar a compra de um veículo usado. Algumas vezes, o comprador sequer tem conhecimento da procedência ilícita do veículo e o adquire de boa fé. A PRF orienta que, na pesquisa ou ato da compra, o novo proprietário sempre desconfie de anúncios tentadores, leve-o a um mecânico de confiança e confronte as informações do documento com os elementos identificadores no veículo.
Um outro alerta quanto a veículos clonados é para os proprietários que estiverem recebendo multas em locais onde não trafegaram. Nesses casos, é importante que procurem o órgão de trânsito para relatarem a possibilidade do veículo ter sido clonado.
Sistema SINAL
Com o sistema SINAL, o cidadão que tiver seu veículo roubado, furtado, com perda de sinal, em seqüestro ou clonado, poderá fazer um cadastro do referido veículo no portal da PRF. Para cadastrar casos de roubo ou furto de veículos, as pessoas podem acessar o site www.prf.gov.br/sinal e inserir informações sobre o crime e as características do automóvel. De imediato, uma mensagem é enviada para os celulares dos policiais que estejam mais próximos da ocorrência, para auxiliar na recuperação do veículo. Vale ressaltar que o registro no sistema não substitui a confecção do Boletim de Ocorrência na Polícia Civil.
Operação Temática – OTEVEIC
A PRF realiza com frequência a operação temática de Enfrentamento às
Fraudes Veiculares (OTEVEIC), composta de aulas teóricas com temas sobre os diferentes elementos de identificação dos veículos, possíveis modos de adulteração e análise documental. Já as atividades práticas, os participantes têm a oportunidade de confrontar os conhecimentos adquiridos através de oficinas ou até mesmo comando específico durante abordagem a veículos que trafegam na rodovia.
Fonte: PRF

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do PORTAL INÚBIA.

MAIS LIDAS DA SEMANA

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE