flutuante

COMPARTILHE COMSEUS AMIGOS

redes sociais

MENU

NOSSA CLINICA

19 de agosto de 2017

MUNDO: Estuprador pedófilo é executado em praça pública com tiro de AK-47 no rosto no Iêmen

Homem foi morto três anos após cometer o crime contra uma menina de 4 anos, o que chocou o país/Foto: reprodução

Um homem condenado por um estupro brutal de uma criança foi executado em praça pública no Iêmen. A sentença foi realizada três anos depois do crime ter ocorrido, com o acompanhamento de uma multidão de gente.


O homem, de 25 anos, foi morto após levar cinco tiros na cabeça. Antes de ser baleado, ele foi deitado sobre um tapete, diante do pai e dos familiares da garotinha Rana Almatari.

Depois, o corpo foi fixado em um guindaste e suspenso vários metros do solo de uma Praça na capital Sanaa. O objetivo era deixar o executado em exibição pública para desencorajar novos casos de estupro.

Al-Saket não só teria estuprado como sequestrado e assassinado a menina de apenas quatro anos. O acusado havia retirado a menina da casa dos pais, em novembro de 2015. A mãe havia deixado a menina sozinha por alguns momentos por conta do outro filho pequeno, que hoje tem quase dois anos de idade. E a criança ficou brincando com outras de sua idade.

O pai entrou em desespero, pedindo ajuda de vizinhos por dias para tentar encontrar a filha. Mas sabia ele que o assassino que o ajudou a procurar a criança era o seu algoz.

O corpo de Rana foi achado perto da casa da família, em um prédio comercial abandonado. Foi constatado que a garotinha havia sido estuprada e estrangulada. Dois dias depois da descoberta do corpo, o suspeito foi preso.

Na casa onde ele vivia, a Polícia encontrou lubrificantes e pílulas de estimulante sexual. As provas levaram a Polícia a acreditar que tudo foi planejado. O nível de crueldade da história não para por ai. O rapaz confessou que depois que a menor foi morta, ele voltou a abusar sexualmente dela.

Claro que todo o país se mobilizou pedindo uma punição severa. As autoridades inicialmente condenaram o homem a 100 chibatadas. Mas isso deixou os habitantes da cidade extremamente revoltados. Então, voltaram atrás e revisaram a sentença para a pena de morte.
Como relatou o jornal britânico “Daily Mail”, a mãe se disse aliviada após ver a execução do monstro que levou sua pequena: “Eu estou contente que o assassino foi morto. Agora prevalece a justiça. Estou muito aliviada”.

O pai da vítima de estupro acrescentou: “Agradeço a todos que nos apoiaram. Independentemente de saber se eles são muçulmanos, cristãos ou de outra religião. Aliás, todos os tipos de ataques a crianças inocentes são proibidas por todas as religiões e todos os deuses”, concluiu.
Fonte: news365

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do PORTAL INÚBIA.

>

LEIA TAMBÉM